Imprimir

243 - Caldo verde e a cozinha portuguesa

Votos de utilizador:  / 1
FracoBom 


receita rápida receita fácil


Receita enviada pelo Chef Motta de Criciúma - Sta Catarina - Brasil, que também fala sobre os segredos da cozinha portuguesa.

Ingredientes:

1 cebola média ralada
1 maço de couve mineira cortada em tiras bem finas
1dente de alho cortado em lâminas
½ xícara de azeite de oliva extra virgem
300g de lingüiça calabresa cortadas em rodelas bem finas
300g de bacon cortados em cubos pequenos
500g de batatas Inglesas cozidas e amassadas tipo purê
Sal e pimenta do reino branca moída a gosto


Modo de preparo

Ferver a lingüiça para retirar as impurezas. Fritar o bacon, dourar o alho e
a cebola. Acrescentar a couve, a lingüiça, o purê de batatas e água quente.
Coloque pimenta a gosto e corrija o sal. Cozinhar por 5 minutos. Servir quente.


Os segredos da cozinha Portuguesa (Parte I)

Cozinha é Cultura

A cozinha de Portugal é das mais ricas do mundo. Uma afirmação que se torna ainda mais impressionante, quando levamos em conta o tamanho do país. Os hábitos e costumes culinários são muito arraigados e cada região, cada vila, tem suas receitas, zelosamente guardadas, o que multiplica os pratos de caráter bem regional. Além disso, a confeitaria portuguesa dificilmente encontra paralelos, tão diversificada e rica que é com seus doces açucarados, a sua profusão de ovos e outros ingredientes, variadíssimos.

Uma cozinha sóbria, que não conhece desperdícios e que sabe conciliar os frutos do mar do seu litoral com os produtos da terra, nem sempre muito rica, mas que é aproveitada a cada palmo.

Portugal, como a Espanha, sofreu influência externas, como as dos mouros e também serviu de porta de entrada na Europa de produtos do seu império. A batata, hoje extensivamente usada em sua culinária, é um desses casos. Como esse intercâmbio funciona em duas mãos, Portugal acabou influenciando as cozinhas de outros países que colonizou. De tão óbvio, é desnecessário falar sobre a influência da cozinha portuguesa no Brasil.

Portugal é muito rico em sopas bem autênticas, camponesas, e que aproveitam produtos típicos. As açordas, preparações que normalmente aproveitam o pão velho no caldo com ovo, alho e outros ingredientes são bastante representativas dessa tendência. A acorda de bacalhau é das mais gostosas, mas é apenas uma delas, pois são muitas as variações e as receitas de acordas utilizando ingredientes diferentes.

Aliás, quando se fala em Portugal, as bacalhoadas vêm à cabeça. É certo que o bacalhau é importante para a culinária lusitana, mas não convém exagerar. Esse peixe salgado, que já foi alcunhado de “velho amigo” em Portugal, já não está mais presente como costumava nas mesas daquele país. A produção portuguesa desse peixe, pescado nos mares do Norte, caiu bastante e ele já não é tão comum. Já vai longe o tempo no qual as donas-de-casa sempre mantinham o bacalhau de molho para o trivial para a cozinha do dia-a-dia.

Mas as receitas com o bacalhau são tantas que constituem um capítulo à parte n a culinária do país. O bacalhau à Gomes de Sá é dos mais famosos e a presença constante nos cardápios de muitos restaurantes. Uma receita que levou o nome do seu inventor, que era comerciante do peixe no Porto. Já o empadão de bacalhau, igualmente atraente não é tão conhecido e é bem mais caseiro.

Povo marítimo e pescador, o português é muito chegado aos frutos do mar. Nos bares de Lisboa e de outras cidades da área litorânea, os mariscos acompanhados por um vinho verde branco é um hábito muito querido. Entre esses mariscos. As ameijoas, os mariscos brancos, talvez estejam entre os mais saborosos e apreciados de um país que é rico em produtos vindos do mar.



Chef Motta